Pesquisar neste blogue:

Contador de Visitas:

Web stats powered by www.clubstat.com

Outros pontos de visita:

Ocorreu um erro neste dispositivo

Temas e Assuntos:

Arquivo do blogue

Colaboradores do blog:

-» Futebol

-» T Nogueira

-» Nuno Texas

-» António Fonseca

-» João Miguel Pereira

-» Marcelo Santos

-» Guilherme Pannain

-» Geração Benfica

-» Tiago Ferreira

-» Livre Directo

-» Bruno Miguel Espalha

Pressing é o mesmo que defender zonalmente?

Publicada por João Henrique T.L.C segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

O pressing não diverge conceitualmente da defesa zonal (embora não sejam propriamente a mesma coisa), em que a grande preocupação é fechar coletivamente os espaços de jogo de maior valor (próximos da bola), pois o cerne fundamental compromete-se com a agressividade com que esses espaços são atacados.

Lopez refere que é através da defesa a zona, que é possivel dominar os espaços mais adequados [entenda-se os espaços de maior valor] em função da posição da bola, e a pressão defensiva, que trata de aproveitar o dominio e a redução dos espaços para pressionar o portador da bola e os atacantes que o apoiam, salientando, serem dois aspectos intimamente relacionados em qualquer organização defensiva.

Romero sintetiza como sendo uma marcação coletiva a zona onde se encontra o portador da bola, e é esta a referência para toda a equipe, com aumento gradual de intensidade defensiva nessa zona para reduzir o tempo e o espaço adversário.

Cruyff refere que se pudesse estabelecer uma lista de mandamentos sobre futebol, um dos primeiros deveria dizer algo como: a pressão deve execer-se sobre a bola, não sobre o jogador.

Cabezon explica que a aplição da defesa a zona é impreterível para configurar um contexto de jogo facilitador de pressing.

O pressing é muito mais fácil de realizar com uma defesa a zona, porque a diferença esta na agressividade com que se atacam os espaços mais valiosos e o portador da bola, percebido que é através da impossibilidade de penetração nesses espaços mais valiosos por parte do adversário, que se coloca este em constrangimento espaço-temporal progressivamente crescente. É portanto evidente que a intenção fulcral deste tipo de ação é de condicionar fortemente o adversário, retirando a iniciativa de jogo, através da colocação do jogador em posse de bola, sob forte constrangimento espaço-temporal.

A defesa a zona, apresenta uma maior adaptabilidade aos problemas que o próprio jogo coloca sobre a defesa. Isto porque, coloca como referencial coletivo a bola (e mais concretamente as ações desenvolvidas a posteriori pelo jogador com bola), permitindo assim uma maior uma elasticidade de ações em função de um pensamento coletivo, e so assim é possivel agir com maior eficiência a tentativa de encurtar (em profundidade - longitudinalmente) e estreitar (em largura - transversalmente) o espaco de jogo (efetivo).

Referências Bibliográficas:

Uma "(des)baromatriz(acção)" concepto-comportamental da(s) zona(s) pressing. - Monografia de Abílio da Torre Ramos.

0 golos

Enviar um comentário

No Futebol "O Desporto Rei" todos os comentários são aceites, desde que os mesmos não contenham qualquer tipo de palavreado não adequado, que impere o respeito e que não sejam com o intuito de fazer apenas e só publicidade. Para este último aspecto, assim como para eventuais trocas de links, façam o favor de nos contactar para o nosso endereço de email (Gmail).

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:
Adiciona-nos e ajuda-nos a divulgar um projecto que pretendemos retomar em breve.

Followers

Parcerias:

Parcerias:
A Mística Azul e Branca traz-nos o "Poder Portista".

A Norte de Alvalade traz-nos "De Leão ao peito".

O Blog Geração Benfica traz-nos "Benfica by GB".