Pesquisar neste blogue:

Contador de Visitas:

Web stats powered by www.clubstat.com

Outros pontos de visita:

Ocorreu um erro neste dispositivo

Temas e Assuntos:

Arquivo do blogue

Colaboradores do blog:

-» Futebol

-» T Nogueira

-» Nuno Texas

-» António Fonseca

-» João Miguel Pereira

-» Marcelo Santos

-» Guilherme Pannain

-» Geração Benfica

-» Tiago Ferreira

-» Livre Directo

-» Bruno Miguel Espalha

Mundial 2010 - Balanço das meias-finais

Publicada por Tiago Ferreira quinta-feira, 8 de julho de 2010

E por fim, temos então as equipas que irão disputar a desejada final em Joanesburgo.

No primeiro encontro das meias-finais estavam frente a frente a Holanda e o Uruguai, único sobrevivente não Europeu. E o jogo acabou por ser mais emotivo que o esperado. Após os holandeses pensarem ter jogo resolvido depois de deslindar o empate e dilatar a vantagem já perto do último quarto de hora, a fúria uruguaia não desistiu, e Maxi Pereira já na compensação ainda reduziu e deixou os europeus com o coração na boca e à beira dum sufoco que não esperavam. Não passou dum susto, o último apito trouxe o alívio holandês que mostrou neste jogo aquelas que têm sido as suas características no Mundial. Um ataque criativo e que faz coisas inesperadas, um meio campo sempre com duplo-pivot que poderia ter sido a perdição, uma defesa algo irregular que comete sempre vários erros por jogo.

Depois de uma partida jogada até ao último minuto e imprópria para cardíacos, Sneijder, Robben e companhia refastelaram-se no sofá à espera do confronto entre Espanha e Alemanha, do qual sairia o seu adversário na grande final.

Neste jogo a exemplo do que aconteceu em outros no campeonato, a Espanha tomou cedo conta do jogo, com um carrossel louco, uma circulação de bola entre os três corredores, que fez Podolski ser lateral esquerdo sempre atrás de Sérgio Ramos. Esperava-se uma Alemanha mais forte, mas os comandados de Joachim Low raramente conseguiram sair do meio campo defensivo com perigo. Já na segunda parte e depois de muito insistir, “la roja” lá chegou ao golo, com um cabeceamento portentoso do capitão Puyol. O mais difícil estava feito e a partir daí a Espanha estava em casa. Cada posse de bola foi claramente controlada e apesar da tentativa alemã de futebol directo, o jogo acabou com a natural e simples vitória espanhola.

Depois de nos oitavos de final se ter pensado numa recta final de campeonato sem equipas europeias, eis que a final é uma vez mais disputada entre equipas do Velho Continente. Qualquer que seja o vencedor, Espanha ou Holanda, levantará o troféu pela primeira vez. Quem levará a melhor, o “tiki-taka” espanhol ou a laranja mecânica?

Haverá ainda no sábado a atribuição do terceiro e quarto lugar, quer para Alemanha, quer para o Uruguai este é um jogo que deixa um travo amargo depois da grande campanha de ambos na competição.

0 golos

Enviar um comentário

No Futebol "O Desporto Rei" todos os comentários são aceites, desde que os mesmos não contenham qualquer tipo de palavreado não adequado, que impere o respeito e que não sejam com o intuito de fazer apenas e só publicidade. Para este último aspecto, assim como para eventuais trocas de links, façam o favor de nos contactar para o nosso endereço de email (Gmail).

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:
Adiciona-nos e ajuda-nos a divulgar um projecto que pretendemos retomar em breve.

Followers

Parcerias:

Parcerias:
A Mística Azul e Branca traz-nos o "Poder Portista".

A Norte de Alvalade traz-nos "De Leão ao peito".

O Blog Geração Benfica traz-nos "Benfica by GB".