Pesquisar neste blogue:

Contador de Visitas:

Web stats powered by www.clubstat.com

Outros pontos de visita:

Ocorreu um erro neste dispositivo

Temas e Assuntos:

Arquivo do blogue

Colaboradores do blog:

-» Futebol

-» T Nogueira

-» Nuno Texas

-» António Fonseca

-» João Miguel Pereira

-» Marcelo Santos

-» Guilherme Pannain

-» Geração Benfica

-» Tiago Ferreira

-» Livre Directo

-» Bruno Miguel Espalha

Uma Nova Nação Para a História

Publicada por Armando Vieira domingo, 11 de julho de 2010


Neste domingo haverá mais uma nação com o seu nome gravado no troféu do Campeonato do Mundo, após o encontro da final entre Holanda e Espanha no estádio Soccer City de Joanesburgo. Para os holandeses será um caso de “à terceira é de vez“ depois de terem falhado a conquista do mundial em 1974 e 78. Para os espanhóis é a primeira final de mundiais.

Os actuais campeões europeus após a fase de grupos afastaram Portugal, Paraguai e Alemanha sem concederem nenhum golo, uma vitória na África do Sul e os espanhóis confirmam o seu domínio futebolistico juntando o Mundial ao Europeu.

A defesa espanhola sofreu apenas dois golos neste mundial. Um no seu jogo inaugural onde saiu derrotado pela Suíça e o outro frente ao Chile no último jogo da fase de grupos. A derrota frente aos helvéticos parece agora apenas um pequeno acidente de percurso e fará da Espanha em caso de vitória o primeiro campeão do mundo a perder o jogo inaugural.

David Villa é, neste momento, a estrela maior da constelação espanhola. Com 5 golos na sua conta pessoal encontra-se no topo da lista de marcadores e bem posicionado para ganhar a bota de ouro. Del Bosque não deverá fazer grandes alterações no 11 inicial que derrotou a Alemanha, o que significa que Torres continuará no banco. O seu fraco rendimento deverá permitir a Pedro fazer par com Villa no ataque da “Roja“.


Talento também não falta aos holandeses com destaque para Wesley Sneijder que partilha com Villa o topo da tabela de marcadores. Sneijder é um jogador fulcral na equipa laranja, podendo tornar-se no primeiro europeu a ganhar um Campeonato do Mundo de selecções na mesma época que ganhou a Liga dos Campeões e a dobradinho no país do clube onde joga, no caso a série A e o Scudetto italianos.

Bert van Marwijk orientou a sua equipa em seis vitórias consecutivas onde marcaram 12 golos e apresentaram um futebol muito atraente. A reviravolta frente ao Brasil terá sido a sua melhor exibição e a afirmação de que eram verdadeiramente candidatos ao título. Esperam-se duas alterações na equipa inicial que defrontou e ganhou ao Uruguai. Nigel de Jong e Gregory van der Wiel deverão voltar, após terem cumprido um jogo de suspensão, em substituição de Khalid Boulahrouz e Demy de Zeeuw.

Aconteça o que acontecer, uma destas duas será a oitava nação a ganhar o Campeonato do Mundo nos 80 anos de história que tem. Será também o primeiro novo nome na taça desde a França há doze anos atrás. Aguardamos curiosos pelo que se vai passar.

0 golos

Enviar um comentário

No Futebol "O Desporto Rei" todos os comentários são aceites, desde que os mesmos não contenham qualquer tipo de palavreado não adequado, que impere o respeito e que não sejam com o intuito de fazer apenas e só publicidade. Para este último aspecto, assim como para eventuais trocas de links, façam o favor de nos contactar para o nosso endereço de email (Gmail).

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:

ESTAMOS NAS REDES SOCIAIS:
Adiciona-nos e ajuda-nos a divulgar um projecto que pretendemos retomar em breve.

Followers

Parcerias:

Parcerias:
A Mística Azul e Branca traz-nos o "Poder Portista".

A Norte de Alvalade traz-nos "De Leão ao peito".

O Blog Geração Benfica traz-nos "Benfica by GB".